Guias

Cadeia de Comando na Estrutura Organizacional

Em uma estrutura organizacional, “cadeia de comando” refere-se à hierarquia de relações de subordinação de uma empresa - da base ao topo de uma organização, quem deve responder a quem. A cadeia de comando não apenas estabelece responsabilidade, mas também define as linhas de autoridade e poder de decisão de uma empresa. Uma cadeia de comando adequada garante que cada tarefa, cargo e departamento tenha uma pessoa assumindo a responsabilidade pelo desempenho.

Formação de Cadeia de Comando

A cadeia de comando não acontece acidentalmente. Os designers organizacionais definem-no como a última etapa na criação de uma estrutura organizacional. Os planejadores consideram primeiro os objetivos da empresa, uma vez que a estrutura organizacional deve apoiar a estratégia. Em seguida, os designers determinam as tarefas necessárias para atingir os objetivos.

A departamentalização segue conforme os designers decidem como agrupar as tarefas. O agrupamento afeta o compartilhamento de recursos e a facilidade com que as pessoas se comunicam e coordenam o trabalho. Depois de departamentalizar, os designers atribuem autoridade para tarefas e áreas. Depois que a autoridade é atribuída, os planejadores podem finalmente estabelecer as relações entre as posições, criando assim uma cadeia de comando.

Relatando Relacionamentos e Organograma

As relações de subordinação estabelecidas na etapa final do projeto organizacional são fáceis de ver em um organograma, que representa a estrutura de uma empresa. Começando na parte inferior, cada posição é conectada a uma acima dela por uma linha. Seguir a linha verticalmente de uma posição para outra revela a cadeia de comando. Cada pessoa é um elo da cadeia.

Amplitude de controle

Um gerente pode estar vinculado a muitos ou poucos subordinados. O número de pessoas subordinadas a um gerente é chamado de amplitude de controle do gerente. Os gerentes com amplo controle têm muitos subordinados e não é possível para um gerente examinar atentamente a atividade. Conseqüentemente, os funcionários sob esses gerentes têm mais autoridade para realizar seus trabalhos e até mesmo tomar decisões do que os funcionários que se reportam a gerentes com amplos limites de controle.

Estruturas Organizacionais Planas

Quando um gerente tem amplo controle, o organograma assume uma aparência horizontal e achatada. São necessários menos gerentes na média gerência, portanto a empresa tem menos hierarquia de poder. Essas são características encontradas em estruturas organizacionais orgânicas. Em estruturas orgânicas, a importância da cadeia de comando é minimizada, uma vez que o poder é distribuído entre os funcionários.

A cadeia pode consistir apenas de funcionários e o proprietário ou funcionários de um gerente para o CEO, tornando-se uma cadeia de comando muito curta. Sem burocracia, as organizações horizontais podem se mobilizar prontamente para atender às condições do mercado.

Estruturas Organizacionais Verticais

Os gerentes que supervisionam de perto os subordinados podem gerenciar apenas alguns. Esses gerentes têm limites estreitos de controle. Vãos estreitos exigem mais gerentes para garantir que todos os funcionários sejam devidamente supervisionados. Esses gerentes também devem ser administrados de perto, dado seu envolvimento nos detalhes e na tomada de decisões.

Isso resulta em organizações altas com várias camadas de gerenciamento intermediário. A cadeia de comando é importante e é usada para exercer o controle de cima. Muitas regras governam as atividades. Essas estruturas são rígidas e mecanicistas, deixando pouco espaço para inovação e criatividade.