Guias

Como calcular a porcentagem da margem de lucro bruto

A maioria das pequenas empresas começa com operações "voando no limite", com pouco uso de dados para a tomada de decisões. À medida que o negócio cresce, no entanto, torna-se essencial introduzir formas de medir e avaliar vários aspectos do negócio para garantir o crescimento e a lucratividade. A porcentagem da margem de lucro bruto é uma dessas ferramentas de avaliação básicas e úteis.

Dica

Para calcular a porcentagem da margem de lucro bruto, divida o lucro bruto pela receita total.

Três definições para começar

Aqui estão as definições úteis relacionadas ao cálculo:

  • Lucro bruto: O que resta depois de deduzir o custo de fabricação e venda do produto. A fórmula é: Lucro bruto = receita - custo dos produtos vendidos.
  • Lucro líquido: O que resta depois de subtrair do lucro bruto todas as outras despesas operacionais da empresa, como juros e impostos.
  • Receita(ou receita total): Todas as receitas provenientes da venda de bens ou serviços. A fórmula é: Quantidade de mercadorias vendidas x Preço das mercadorias.

Calculando a porcentagem da margem de lucro bruto

Você calcula a porcentagem da margem de lucro bruto calculando primeiro o Lucro bruto (receita menos o custo dos produtos vendidos) e, em seguida, dividindo o resultado pela receita. A fórmula para a porcentagem da margem de lucro bruto é:

((Receita - Custo dos Produtos Vendidos) ÷ Receita) x 100

Por exemplo, uma empresa tem receita de $ 500.000; o custo das mercadorias vendidas é de $ 200.000, deixando um lucro bruto de $ 300.000. Dividir esse resultado por $ 500.000 resulta em uma margem de lucro de 0,6. Multiplicar 0,6 por 100 expressa a margem de lucro bruto como uma porcentagem, que neste caso é de 60 por cento. Isso significa que, para cada dólar de receita, a empresa gera 60 centavos de lucro antes do pagamento de outras despesas comerciais.

O que a porcentagem da margem de lucro bruto lhe diz?

A porcentagem da margem de lucro bruto fornece informações valiosas sobre o seu negócio. No geral, o GPMP é um bom indicador da saúde financeira da empresa. Sua simplicidade o torna uma métrica fácil para comparar seu negócio com o de seus concorrentes (assumindo que os GPMPs deles sejam conhecidos). Se seu GPMP for melhor do que o de seus concorrentes, isso confirma que você está operando o negócio com eficiência acima da média. Se o seu GPMP for menor do que o de seus concorrentes, é um aviso de que seus preços, vendas e / ou ajustes de fabricação precisam ser feitos.

Também é uma métrica útil para examinar seus negócios ao longo do tempo. Quando calculado em intervalos regulares, um GPMP estável indica que os processos da empresa estão funcionando bem. Se for volátil, com mudanças substanciais de trimestre para trimestre, isso pode ser um aviso de um ponto fraco em algum lugar no processo de produção, precificação ou vendas. Se o GPMP está diminuindo constantemente de trimestre para trimestre, isso exige um ou ambos os remédios: aumentar os preços e / ou reduzir os custos de produção.

Limitações da porcentagem da margem de lucro bruto

GPMP é uma métrica financeira bem estabelecida, mas não diz tudo. Embora seja frequentemente usado como uma métrica que mostra a eficiência geral da empresa, uma redução no GPMP pode estar relacionada apenas a um problema de preço. Além disso, o GPMP não estabelece necessariamente a origem do problema nas margens baixas. Em outros casos, uma empresa pode ter um GPMP excelente, mas volume de vendas insuficiente para cobrir adequadamente as despesas não incluídas no lucro bruto. Às vezes, mesmo que o GPMP seja baixo, a lucratividade geral da empresa pode permanecer alta devido ao volume de vendas excepcionalmente alto.

Quando o GPMP é menor do que o da concorrência, em vez de indicar um problema, pode ser o resultado de uma estratégia de vendas deliberada projetada para levar a um volume de vendas maior. Algumas das empresas mais bem-sucedidas do mundo - por exemplo, notavelmente, a Amazon - tiveram GPMPs negativos por mais de uma década por design. Mas em 2017, a Amazon havia se tornado o terceiro maior varejista do mundo, com aumentos anuais substanciais nas margens de lucro.